Do something

Windows 7 Pecados

Com o Windows 7, a Microsoft está impondo controle legal sobre o seu computador e está usando este poder para abusar de usu├írios de computadores.

Microsoft ama DRM.

Digital Restrictions Management (Gestão de Direitos Digitais) são medidas tecnológicas que restringem o que os usuários de computadores podem fazer. DRM estão estabelecidos no coração do Windows 7, e muitos serviços da Microsoft impõem DRM para seus usuários. Em alguns casos, a Microsoft adicionou estas restrições por ordem das emissoras de TV , Hollywood e a indústria fonográfica. Em outros casos, os DRM da Microsoft vão além das necessidades dessas companhias, sugerindo que a Microsoft está usando DRM simplesmente para criar aprisionamento de usuários. Se a Microsoft está conspirando com a indústria do entretenimento ou promovendo o DRM em benefício próprio, não faz diferença para os usuários de softwares...

O medo monomaníaco da indútria do entretenimento é que pessoas compartilhem mídia digital com seus amigos, construindo uma biblioteca pública de trabalhos culturais. Bibliotecas públicas são instituições maravilhosas, e em uma era digital tornam-se quase milagrosas: podemos agora fornecer acesso universal ao conhecimento e cultura humana—ou pelo menos alguma coisa que seja publicada—a pouco ou nenhum custo. O incrível é que é quase automático: uma vez que pessoas podem compartilhar livremente com seus amigos por uma rede global, você obtém uma biblioteca pública digital. Redes P2P (ponto-a-ponto) são um exemplo de uma biblioteca digital, e a web é outro. O valor destas bibliotecas para o público é histórico e imensurável. Mas a indústria do entretenimento serve seus acionistas, e não o público, e estão muito dispostas a destruir desde o início qualquer recurso público que possa interferir com seus próprios interesses. O computador pessoal foi criado desde o início para o compartilhamento de informação de maneira rápida e fácil, então para a indústria do entretenimento restringir o compartilhamento, precisa da total cooperação de fabricantes de softwares dos níveis mais elevados. Aqui entra a Microsoft.

Com o fim de evitar completamente o compartilhamento, a indústria do entretenimento precisa da Microsoft para fazer duas coisas:

  • Primeiro, eles tiveram que assegurar que um sinal digital de saída estará tão bloqueado quanto o arquivo de música ou filme com DRM. Caso contrário você poderia simplesmente executar um vídeo em seu computador para saída em outro dispositivo (como sua câmera digital) e ativar a gravação. Então o Windows, quando executar um arquivo com DRM, precisa constantemente verificar para ter certeza que qualquer dispositivo conectado está cooperando com o esquema do DRM. Está anti-funcionalidade é chamada de Protected Media Path. A Microsoft a introduziu com o Vista, e continua no Windows 7.

  • Segundo, indústria do entretenimento precisou da Microsoft para evitar que outros programas observem o processo de excecução e interceptem o áudio e vídeo sem decodificação. Afinal de contas, ainda é seu computador, e (por mais que a indústria do entretenimento odeie isso) você pode instalar e executar qualquer aplicação que queira. Vista e Windows 7 fecham essa "brecha jurídica" monitorando todas as aplicações em execução sempre que uma arquivo de mídia com DRM está tocando. Se o Vista ou Windows 7 detecta uma aplicação sem aprovação sendo executada sem segundo plano, sua música ou vídeo irá simplesmente parar de tocar. Na prática, a codificação na maioria dos esquemas de DRM (incluindo DVD e Blu-ray) tem sido "craqueadas", e cópias livres de DRM de qualquer trechos de filmes ou músicas estão disponíveis na Internet. Mas usuários do Windows 7 e Vista ainda tem código sendo executado em seus computadores—todo o tempo—que está tentando limitar seu direito básico de compartilhar mídia com outras pessoas e construir bibliotecas.

Estas restrições foram mais longe do que muitos esperavam. Por exemplo, a pedido da NBC, a Microsoft previne que usuários do Windows Media Center possam gravar programas de televisão que a NBC não autorizou, embora esse tipo de gravação seja um recurso incluído no Windows Media Center. Eles alegaram que só estão seguindo os regulamentos da FCC (sigla para Comissão Federal de Comunicações dos EE.UU), embora a Segunda Vara de Apelações da justiça norte-americana tenha setenciado que a FCC não tem autoridade para outorgar tais regulamentos.

A Microsoft inclusive adicionou DRM em contextos onde a indústria do entretenimento tinham desistido. Este ano, após cada uma das maiores lojas de música online desistirem do DRM, a Microsoft lançou uma loja de música para celulares com DRM incluído — este serviço de música tem uma limitação particularmente encantadora: muitas pessoas trocam de celular a cada 6 meses a um ano, mas não há como transferir músicas de um celular para outro. Se você trocar de telefone a cada 6 meses, então você perderá suas músicas a cada seis meses. Mas o mais importante, esse é um nível de DRM que a indústria do entretenimento não estão mais exigindo, indicando que a Microsoft tem sua própria finalidade em promover o DRM: aprisionamento de usuários. Porque DRM cria incompatibilidade artificial, é uma ferramenta perfeita para usuários, de subordinação de um serviço para um produto particular. Quando pessoas compram música de um serviço da Microsoft, elas não podem usar nenhum outro tocador de música (como o iPod, por exemplo). Mesmo quando a Microsoft lançou seu próprio tocador de música "Zune", o Zune não tocou faixas com o DRM "Plays for Sure" da Microsoft vendido por outros serviços de música (incluindo o URGE Music Service incluído no Windows Media Player 11). Pressão da indústria do entretenimento não é a única razão da Microsoft para impor o DRM; aprisionamento de usuários é central para a estratégia de negócio da Microsoft e DRM é um grande modo de perseguir isso.

A Microsoft não é a única empresa culpada por isso. A Apple, via seu software iTunes, e seu Macintosh, iPod, iPhone e dispositivos de TV Apple também impõe DRM para os usuários. Adobe e Sony também impõem DRM para os usuários. Mas a Microsoft é um usuário particularmente agressivo de DRM, e a integração do DRM nos mais profundos níveis do Windows 7 é a razão chave para não comprá-lo.

Software livre, naturalmente, não oferece suporte ao DRM — se o DRM foi adicionado em um software livre, os usuários e desenvolvedores trabalhariam em torno disso e o removeria.

Leitura complementar: Opondo-se ao DRM

© 2009 Free Software Foundation, Inc

Bill Gates/Jesus cartoon by Phil Garcia and Don Berry. Verbatim copying and distribution of the cartoon are premitted without royalty in any medium provided this notice and the copyright notice are preserved.

Esta página é licenciada sob os termos da Creative Commons Attribution-No Derivative Works 3.0 License.

FSF lança campanha contra Windows 7 e software proprietário

Traduções desta página.